Atualidade


CELORICO DE BASTO

Homenagem em Belém

Generic placeholder image

Marcelo Rebelo de Sousa condecorou, a título póstumo, com o grau de Comendador da Ordem do Mérito António Manuel Marinho Gomes, antigo comandante dos Voluntários Celoricenses e presidente da Assembleia Municipal de Celorico de Basto. Numa cerimónia restrita, que decorreu no Palácio de Belém, o Chefe de Estado, após usar da palavra, entregou as insígnias à viúva do homenageado, Maria Teresa Marinho Gomes.

Refira-se que Ordem do Mérito destina-se “a galardoar atos ou serviços meritórios praticados no exercício de quaisquer funções, públicas ou privadas, que revelem abnegação em favor da coletividade”, o que, na realidade, distinguiu sempre António Marinho Gomes enquanto bombeiro, mas também como autarca e cidadão. O comandante Marinho Gomes faleceu, no dia 8 de setembro de 2019, aos de 66 anos, depois de uma longa luta com a doença que o atormentou vários anos e que enfrentou com enorme coragem. Celorico de Basto perdeu um dos seus mais ilustres filhos e os Bombeiros de Portugal um insigne representante. A justa homenagem a um homem bom que foi comandante do dos Celoricenses, autarca e cidadão ativista de causas chegou um ano depois, pelas mãos do presidente da República.

O comandante Marinho, como era conhecido no mundo dos bombeiros, nasceu a 5 de dezembro de 1952, ingressou nos Bombeiros Celoricenses em 1976, como aspirante, cumprindo o sonho de servir o próximo. Em 1983 recebeu as divisas de bombeiro de 3.ª e encetou um percurso de mais de quatro décadas. Em 1984 passou a integrar o comando, como 2.º, e cinco anos depois assumiu a estrutura que liderou até 5 de dezembro de 2018, quando passou ao quadro de honra, deixando, contudo trabalho e marca nesta instituição, mas, também na organização maior: os Bombeiros de Portugal. Serviu na Federação dos Bombeiros do Distrito de Braga assumindo funções diversas, nomeadamente as de presidente da direção, de 2006 a 2014.

Teve, sempre, uma voz ativa no setor e presença assídua nas ações com chancela da Liga dos Bombeiros Portugueses que lhe reconheceu toda a entrega concedendo-lhe o Crachá de Ouro, em 2013, um Louvor Público, em 2015, e o Crachá de Mérito e Cidadania, em 2019. No que concerne a distinções honoríficas, o comandante Marinho podia orgulhar-se ainda do colar de Valor e Mérito, outorgado pela Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários Celoricenses e da Medalha de Honra do Município (grau Ouro).

Sobre o celoricense dizem os seus conterrâneos que “não existia ninguém a amar mais concelho que o comandante”.

“Podem amar de igual forma, mas não podem amar mais esta terra e estas gentes, como ama o nosso Toninho Marinho”, quem o afirmou foi presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, quando, no dia 16 de junho de 2019, distinguiu Marinho Gomes com a medalha de Honra, que surge também como reconhecimento do contributo dado a Celorico de Basto enquanto vereador e Presidente da Assembleia Municipal.

Na cerimónia em Belém, estiveram presentes, para além de familiares do homenageado, os presidentes da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Joaquim Mota e Silva, e da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Celoricenses, Fernando Freitas.

Sofia Ribeiro
22.10.2020 | 17h03