Atualidade


PAÍS

Pandemia reedita confinamento de 2020


PAÍS

Portugal mentem-se em estado de Emergência até 30 de janeiro. Com os votos favoráveis do PS, PSD, CDS, PAN e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, a Assembleia da República a acaba de aprovar a proposta do presidente Marcelo Rebelo de Sousa, A renovação do estado de Emergência mereceu a abstenção do Bloco de Esquerda e, sem surpresa, o chumbo do PCP, PEV, Chega, Iniciativa Liberal e de Joacine Katar Moreira.

Feitas as contas este é o nono diploma do estado de emergência que o Marcelo Rebelo de Sousa, submete ao Parlamento desde que novo coronavírus chegou a Portugal.

Em nota divulgada na página da Presidência da República, após a aprovação da “renovação do estado de emergência até às 23.59 h. do dia 30 de Janeiro”, Marcelo rebelo de Sousa reitera a “gravidade da situação” reconhecida “por mais de 90% dos deputados”, e defende urgência em “tentar conter e inverter o crescimento acelerado da pandemia, visível, nos últimos dias, em casos, internamentos, cuidados intensivos e, ainda mais, em mortos”.

“Essa contensão e inversão impõe-se e é muito urgente”, frisa, assinalando a premência “resultados palpáveis no mais curto espaço de tempo possível, não deixando que a pandemia entre, ao nível do patamar existente, em fevereiro e março” Para o Chefe de Estado, “isso significaria multiplicação do número de mortos, situação mais critica nas estruturas de saúde, maior fragilização do clima de confiança das pessoas e comunidades, agravamento duradouro da crise económica e social”.

“A presente renovação e o confinamento que a acompanha pretendem criar um travão de reforçada emergência, evitando um alastramento, antes de a vacinação poder constituir um dique imunitário minimamente amplo e eficaz”, explica Marcelo Rebelo de Sousa considerando que de novo todos serão chamados a “conjugar ânimos, vontades e resistências para alcançarmos o que alcançámos entre março e maio do ano passado – um suplemento de tempo e de alma num desafio de fim mais próximo, mas ainda indeterminado”.

“Há quase um ano, vencemos esse desafio. Só há mais razões, hoje, para o vencermos, uma vez mais”, finaliza.

O Governo reúne, ainda hoje, em Conselhos de Ministros, prevendo-se que António Costa anuncie, por volta das 16 horas, as regras do já certo segundo confinamento geral do País, em menos de um ano.

Sofia Ribeiro
13.01.2021 | 12h13