Mais Notícias


EM PROTESTO CONTRA OE 2021

LBP ausculta associações sobre posições a tomar


A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), à hora do fecho da presente edição, está a auscultar, até 9 do corrente, as associações e corpos de bombeiros sobre as posições a tomar em conjunto em sinal de protesto contra o Orçamento de Estado (OE) para 2021 que, claramente, “esquece mais uma vez os bombeiros”.
A LBP enviou a todos os seus órgãos sociais, às federações, associações e câmaras municipais com corpos de bombeiros um projeto de moção para apreciação e sobre o qual pediu para cada um emitir opinião, inclusive sobre medidas de protesto a encetar. No documento sugere-se concentrações de viaturas nas capitais de distrito e, em simultâneo, toques de sirene nos quartéis.
A LBP enfatiza que “os bombeiros portugueses continuam a ser os parentes pobres deste Governo apesar de encherem os seus eloquentes discursos com grandes elogios ao principal agente da proteção civil, que são como a gente sabe, os Bombeiros Portugueses, devidamente reconhecido em letra de Lei”.
Como é sabido, contra a proposta de 35 milhões de euros, o OE de 2021 apenas prevê 28,6 milhões para os bombeiros, ou seja, muito menos que o solicitado pela confederação, e muito menos até que a proposta que o próprio MAI terá apresentado ao Ministério das Finanças.
Feitas as contas, para além dos 28 milhões do OE de 2020 haverá mais 600 mil euros, ou seja, um aumento de cerca de 100 euros/mês por cada associação, o que para o setor é “inadmissível”. Neste documento de protesto, a LBP lembra as dificuldades acrescidas sentidas pelas associações já antes da pandemia e agravadas, como é sabido, no seu decorrer.
A confederação lembra ainda que “as verbas do Fundo de Emergência aprovado pela Assembleia da República (sete milhões de euros) ainda não chegaram às associações nem sequer se vislumbra quando poderão chegar”.

Sofia Ribeiro

22.10.2020 | 16h30