Grandes Destaques


INCÊNDIOS RURAIS

Dispositivo apresentado em Proença-a-Nova

PROGRAMA NACIONAL DE VACINAÇÃO-Fevereiro, mês dos bombeiros

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) apresenta esta quinta-feira, no Aeródromo Municipal de Proença-a-Nova, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR21).
A sessão terá como cicerone o comandante nacional de emergência e proteção civil que fará “a apresentação do dispositivo planeado para assegurar a mobilização, prontidão, empenhamento e gestão de todos meios disponíveis da forma mais eficiente e eficaz para a época de incêndios rurais deste ano”. André Fernandes dará, ainda, a conhecer “as principais alterações, em termos de meios e organização”, na campanha deste ano.
Hoje, durante a sessão, serão também condecorados “aqueles que, tendo demonstrado elevado sentido cívico e genuína entrega à causa do bem comum, perderam a vida ao serviço da Proteção Civil, em consequência de operações de proteção e socorro.
Segundo o Ministério da Administração Interna (MAI), 2021 contará “com o maior número de sempre de meios envolvidos, em todas as fases de empenhamento”, sendo que, entre 1 de julho e 30 de setembro, período mais crítico, o dispositivo terrestre integrará 12.058 operacionais, 2.795 equipas e 2.656 viaturas com o imprescindível apoio de 60 meios aéreos. Neste denominado Nível IV de empenhamento, na componente de combate e ataque inicial estão mobilizados, no total, 7.393 elementos dos quais 5.777 bombeiros, 240 efetivos da Força Especial de Proteção Civil da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), 1.144 militares da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da Guarda Nacional Republicana (GNR) e 232 sapadores florestais do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).
À componente do ataque Inicial, respondem 4.665 operacionais, sendo 1.952 do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR, 338 agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), 1.807 sapadores florestais, 203 elementos do Corpo Nacional de Agentes Florestais, 89 vigilantes da natureza e 36 das Equipas de Gestão de Fogos Rurais do ICNF e 240 do Agrupamento Complementar de Empresas para Proteção Contra Incêndios (AFOCELCA).
Perto de duas centenas de elementos das Forças Armadas reforçam, ainda, nas duas componentes.
Importa salientar que, já esta semana, foi assinada pela secretária de Estado, Patrícia Gaspar, a diretiva financeira que garante a operacionalidade deste dispositivo. A Liga dos Bombeiros Portugueses (LB P), congratula-se com o processo negocial e, mais concretamente, com o facto do Governo ter acatado as propostas da confederação. Em circular enviada às associações humanitárias e corpos de bombeiros, Jaime Marta Soares considera que não sendo a “ideal” a diretiva “comtempla melhorias de carácter financeiro e de execução” que merecem o aval da LBP.

Sofia Ribeiro
13.05.2021 | 11h49