Grandes Destaques


LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES

PR inaugura Casa dos da Paz

LIGA DOS BOMBEIROS PORTUGUESES-PR inaugura Casa dos da Paz

Marcelo Rebelo de Sousa presidiu à cerimónia de inauguração da nova sede da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), no Paço do Lumiar, em Lisboa, onde de viva voz e perante dezenas de convidados reconheceu e enalteceu o papel do presidente da confederação, comandante Jaime Marta Soares, na defesa das reivindicações do setor, numa luta antiga e sem tréguas. O chefe de Estado destacou ainda o estilo "desempoeirado" que marcou e marca o percurso de Jaime Marta Soares, que em ocasião própria será devidamente distinguido presidência:
"O galardão que merecer há de recebê-lo noutra ocasião", anunciou Marcelo Rebelo de Sousa que em dia de festa para os bombeiros teceu os maiores elogios às mulheres e homens que servem nesta missão.
Esta intervenção ficou ainda marcada pelo "justo" agradecimento ao ministro da Administração Interna (MAI) Eduardo Cabrita pelo trabalho desenvolvido nos últimos anos em matéria de combate aos incêndios. "Queria dizer, porque é justo, é justo e não tem sido dito ao MAI, que neste domínio, há que lhe agradecer. Como em tudo na vida, há domínios que correm melhor e correm pior na vida dos políticos", esclareceu.
Marcelo que falou ainda das lições aprendidas no pós-tragédias de 2017, dizendo que o governante "fez o que podia e o que não podia", e assim sendo, frisou "é bom que se diga isto agora para não ser tarde demais quando se tiver de o dizer".
"Fica dito e fica agradecido", frisou o presidente da República.
À chegada à Casa dos Soldados da Paz o chefe de Estado, recebeu Honras da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Torres Vedras, associada número um da confederação, que se apresentou em Lisboa com uma seção composta por 25 elementos, guarda de honra e a banda filarmónica que interpretou o Hino Nacional. Depois do Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Américo Aguiar, ter procedido à bênção Marcelo Rebelo de Sousa descerrou a placa que perpetua o dia 9 de outubro de 2021.
Visivelmente satisfeito com a efeméride e com a obra feita Jaime Marta Soares aproveitou a vasta plateia para recordar o processo de instalação no Palácio de S. Cristóvão. Anos de muito trabalho, mas que permitiu dar uma nova vida a um património histórico que se encontrava em acelerado processo de degradação e do qual se pode orgulhar a LBP de o devolver à capital completamente renovado.
Porque o presidente da confederação não desperdiça tempo de antena, nem púlpitos, mesmo em dia de festa, não se coibiu de relembrar todos os grandes temas ou como disse as "reformas que de impõem" entre os quais a revisão da Lei de Financiamento, o aumento de 3% para 6% das verbas para o Fundo de Proteção Social do Bombeiro (FPSB), o reforço de apoios, nomeadamente financeiros à ENB - a futura "Escola Nacional de Bombeiros e Proteção Civil -, nova regulamentação para as equipas de intervenção permanente (EIP) e grupos de intervenção permanente (GIPE) para os quais defende "versatilidade de funções adequando-as às novas realidades e exigências".
Recados ainda para Assembleia da República para exigir que a confederação seja "parceiro social de direito já que o é de facto, integrando-a no Conselho Económico e Social".
Pediu ainda aos deputados da nação par "no mais curto espaço de tempo possível, legislem sobre o Acordo Coletivo de Trabalho, com base na proposta da confederação. Jaime Marta Soares lembrou reivindicações antigas como "comando autónomo nos bombeiros voluntários", a "bonificação da contagem de tempo de serviço para a reforma" e a "atualização dos valores dos seguros de acidentes pessoais e adaptação das apólices aos novos riscos, exigências e realidades". Da mesma forma, relembrou que o regulamento de uniformes "continua por aprovar" e que os bombeiros rotulam de "urgente" o protocolo com o Ministério da Saúde que defina regras para a utilização de viaturas dedicadas ao transporte de doentes (VDTD). Exigiu, também, "alto risco" para a função do bombeiro voluntário.
Do trabalho desenvolvido e dos vários ganhos conseguidos para os bombeiros, o presidente da LBP falou com particular entusiasmo do processo negocial que viabilizou a recente assinatura do acordo de cooperação com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), um documento que "já não era revisto há cerca de 10 anos".
Terminou, ainda antes de outorgar a Fénix de Honra a quase duas dezenas de homenageados, por agradecer a várias entidades e que ao longo da última década têm colaborado com a confederação a favor dos bombeiros de Portugal designadamente a Caixa Central de Crédito Agrícola, o Grupo "Os Mosqueteiros" e a Calzedonia.
Os agraciados
A festa terminou com a entrega das Fénix de Honra aos comandantes do quadro de honra (QH) José Alberto da Silva Caetano (AHBV Almoçageme), Luis Manuel Martins Reto (AHBV Colares), António de Castro Valente (AHBV Estarreja), Clemente Joaquim Martins Mitra (AHBV Cacilhas) António Simões da Cunha Santos (AHBV Penacova), Henrique Joaquim Salvado Alves (AHBV de Sintra) Eduardo do Rosário Agostinho (AHBV Rio Maior), Joaquim Mano Póvoas (AHBV Carvalhos) e Arnaldo Filipe Rodrigues dos Santos (Torrejanos). Foram ainda distinguidos, na Casa dos Soldados da Paz, o comandante Carlos Jaime Fonseca Santos (AHBV Dafundo), Carlos Alberto dos Santos Baptista (AHBV Ourém), Agostinho Pinto Teixeira (AHBV Esposende), José Ferreira, presidente da Escola Nacional de Bombeiros, Domingos Linhares Quintas (CM Sintra), e os edis de Mafra, Hélder Sousa Silva, e de Bragança Hernâni Dinis Venâncio Dias. António Costa, enquanto o antigo presidente do município Lisboa, o comandante Fernando Barão dos Santos (AHBV Torres Vedras) e o comandante do QH António Manuel Pinto Soares Machado, igualmente laureados, recebem este alto galardão, numa outra ocasião.

Sofia Ribeiro
11.10.2021 | 15h00