Destaques


SETÚBAL

Federação pede urgência na vacinação

  • SETÚBAL-Federação pede urgência na vacinação
“O aumento significativo” de número de infetados por Covid-19 e “consequentemente” dos serviços de transporte de “casos suspeitos e confirmados”, motiva a Federação dos Bombeiros do Distrito de Setúbal a defender que “é urgente avançar com a vacinação o mais rapidamente possível”.

Em comunicado, João Ludovico, alega que esta entidade “tem vindo a acompanhar o desenvolvimento do processo” bem como “as diligências que a Liga dos Bombeiros Portugueses” (LBP) mas a falta de “informação concreta” não faz esquecer a missão de “defesa intransigente das federadas e dos bombeiros” de Setúbal.

“Visto ainda não existir informação concreta sobre o início da vacinação aos Bombeiros e dentro do nosso espaço de intervenção, estamos a solicitar às autoridades competentes urgência na vacinação”, refere a nota enviada às redações.

“Não podemos esperar até ao momento que se prevê esse início”, reforça o comunicado”, sublinhando em tom de critica que “o maior agente de proteção civil do País e o maior responsável pela resposta ao socorro das populações não pode ficar para trás”. Conforme noticiou o jornal Bombeiros de Portugal, os operacionais dos quarteis de todo o País deverão começar a ser vacinados no mês de fevereiro, segundo garantia conjunta dos ministérios da Saúde e da Administração Interna.

“Temos insistido permanentemente para que nos indiquem uma data para o início do processo Fomos informados que os bombeiros serão vão ser vacinados numa primeira fase cerca de 15 mil bombeiros. Obtivemos ainda a informação da possibilidade dessa vacinação se desenvolver durante todo o próximo mês de fevereiro”, segundo uma circular enviada pela confederação às associações humanitárias, no dia 5 de janeiro.

Na mesma comunicação a confederação frisa que continuará “a insistir com o Governo” na clarificação de todo o processo, da mesma forma que reitera o empenho “nesta como noutras matérias que estão em cima da mesa de negociações”.

Sofia Ribeiro
13.01.2021 | 16h27