Destaques


QUARTEL ELECTRÃO

Bombeiros batem recorde

  • QUARTEL ELECTRÃO-Bombeiros batem recorde
Em 2020 os bombeiros portugueses atingiram "um máximo histórico" na recolha de pilhas e equipamentos elétricos usados. Mesmo em tempos de pandemia, com todos constrangimentos, as 2.029 toneladas recolhidas confirmam o sucesso da 5.ª edição do "Quartel Electrão", uma campanha que conta com o alto patrocínio da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP).
"Este é o valor mais alto registado nas cinco edições desta iniciativa do Electrão – Associação de Gestão de Resíduos" assinala a entidade promotora, adiantando que o resultado mais próximo foi alcançado em 2011, ano em que foi possível reunir 1802 toneladas destes resíduos.
Pela terceira vez consecutiva, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Amarante vence o primeiro prémio e reforça o parque de viaturas, desta feita, com um veículo ligeiro de combate a incêndios florestais (VLCI), no valor de cerca de 54 mil euros. Neste quartel do distrito do Porto, ao longo de 2020, foram depositadas um total de 145 toneladas de equipamentos em fim de vida. Os Voluntários da Figueira da Foz, com a recolha de 64 toneladas, alcançaram o segundo lugar e um prémio de cinco mil euros convertíveis em equipamentos de proteção individual (EPI) florestais.
A pandemia impôs um novo formato à entrega de prémios feita, este ano, numa vídeo-cerimónia, transmitida no canal Youtube do Electrão, no decorrer da qual foram, igualmente, anunciados os vencedores regionais, uma novidade desta 5.ª edição, que premiou com 750 euros em cartões pré-pagos de combustível: nas ilhas, a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários da Madalena, que reuniu 32 toneladas; a Sul (Beja e Faro) os Bombeiros de Vila Real de Santo António (47 toneladas); Lisboa e Vale do Tejo (Évora, Leiria, Lisboa, Santarém e Setúbal), os Voluntários de Peniche (52 toneladas); no interior (Castelo Branco, Guarda e Portalegre), a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres (27 toneladas); no Centro (Aveiro, Coimbra e Viseu), Anadia (52 toneladas) e, finalmente, no Norte (Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo e Vila Real), Lordelo (44 toneladas).
O prémio "Novo Aderente", que mobilizou para esta maratona da reciclagem 26 estreantes, foi para Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mértola, que assegurou a recolha de 55 toneladas de resíduos e, por isso, recebeu, também, 750 euros em cartões pré-pagos de combustível.
Os Bombeiros de Agualva-Cacém, pouparam o ambiente de 2,2 toneladas de pilhas, e os congéneres Marco de Canaveses, de 2,2 toneladas de lâmpadas e, assim sendo, como vencedores nestas categorias, arrecadaram 1.500 euros em equipamento de proteção.
A título de curiosidade, assinale-se, que os distritos de Aveiro, Porto e Santarém são os recordistas nacionais, todos com mais de 200 toneladas de resíduos enviados para as fileiras da reciclagem. Em sentido oposto, Bragança que este ano conseguiu recolher oito toneladas.
Na primeira edição desta campanha de âmbito nacional, (2011), o prémio principal foi para o quartel de Mangualde. Os voluntários de Vila Nova de Famalicão venceram em 2015/16. Os Bombeiros de Amarante foram imbatíveis em 2016/17, 2018/19 e em 2020, quando esta ação, já fidelizada, passou a ser anual. Globalmente, a iniciativa já permitiu a recolha de 6.921 toneladas de pilhas e equipamentos elétricos usados. Entretanto, já arrancou a 6.ª edição do "Quartel Electrão" que dá, uma vez mais, às associações humanitárias a "oportunidade" de dar continuidade a este sustentável projeto de "apoio à comunidade e proteção do ambiente".
A organização assegurou que "os prémios se mantêm", o que significa que o vencedor "receberá um veículo ligeiro de combate a incêndios", contudo registam-se alterações no regulamento que passa restringir a atribuição do primeiro prémio a dois anos consecutivos, para assim garantir o "equilíbrio" na atribuição deste apoio aos bombeiros.

Sofia Ribeiro
28.01.2021 | 13h14