PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

quinta-feira,

17/08/2017

16:22

VOUZELA

Prontidão fora e dentro do quartel

02/10/2014 10:22:33

BP30_16_7.jpgSobram elogios e agradecimentos da direção e do comando aos cerca de 80 operacionais que servem no Corpo de Bombeiros Voluntários de Vouzela, tanto no quartel sede, como na secção destacada de Campia.

Homens e mulheres bem preparados garantem à população uma resposta de qualidade e todo o apoio à associação.

Nos teatros de operações, como noutros cenários, prontidão é palavra de ordem.

 


Texto: Sofia Ribeiro

Fotos: Marques Valentim

 

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntá­rios de Vouzela, que assi­nalou, no passado mês de ju­lho, 129 anos de existência, uma data importante, que exi­ge redobrada responsabilidade na renovação do compromisso assumido com esta comunidade do distrito de Viseu.

BP30_16_5.jpg

No quartel-sede e na Secção Destacada de Campia cerca de 80 operacionais dão todos os dias o seu melhor, tanto nos di­ferentes teatros de operações, como nas ações dinamizadas pela associação. Esta é uma equipa que não hesita em “dar cara” pelas diferentes campa­nhas que visem a angariação de fundos e em “arregaçar as mangas” nas mais distintas ta­refas e obras de beneficiação das instalações, segundo res­salvam o presidente da direção, Carlos Lobo e o comandante Joaquim Tavares. 

BP30_16_1.jpgA participação nas festas do concelho e promoção de um conjunto de eventos, garantem à associação verbas substan­ciais a que se somam os apoios da população que “muito acari­nha os seus bombeiros”, mas também das empresas locais e da autarquia.

“Há muitos anos que a Câ­mara Municipal de Vouzela, in­dependentemente da cor políti­ca do executivo, prova ser ami­ga e estar atenta às nossas ne­cessidades. Nunca nos faltou”, diz o comandante, adiantando que “esse apoio vai muito para além do subsídio mensal para fazer fase aos ordenados dos 11 funcionários da instituição”.

Esta cooperação tem permiti­do aos Voluntários de Vouzela investir em meios para os ope­racionais:

BP30_16.jpg“Temos feito um esforço para equipar, convenientemente, os nossos bombeiros. Ainda, re­centemente, investimos cerca de 40 mil euros na segurança do corpo ativo”, realça o presi­dente da direção.

O comandante dá conta do processo de renovação e mo­dernização do parque de viatu­ras, há poucos meses reforçado com uma ambulância de socor­ro e uma outra de transporte múltiplo.

Naturalmente animado pelos resultados obtidos pela equipa que lidera, o dirigente salienta que, em “tempos difíceis” a es­tabilidade financeira desta insti­tuição só é possível com “uma boa e a rigorosa gestão”. Por outro lado, fala ainda “do espíri­to de união e da entrega de bombeiros motivados e deter­minados em contribuir para o engrandecimento desta institui­ção”.

A vasta mancha florestal e a A25 merecem atenção redobra­da destes operacionais, que, no entanto, não descuram outro tipo de perigos, nomeadamente nas novas áreas industriais do concelho.

BP30_16_3.jpgPara responder a estes e a muitos outros desafios, o co­mando, com o beneplácito e pa­trocínio da direção, muito tem investido na formação, “sobre­tudo nas áreas da saúde e de­sencarceramento, mas também de matérias perigosas e salva­mento em grande ângulo”.

“Estamos sempre muito atentos à formação e não des­curamos a instrução semanal” diz o comandante, defendendo que só desta forma “é possível dar uma resposta de qualidade às cerca de 12 mil habitantes do concelho de Vouzela.

A dinâmica desta equipa abre caminho à entrada de jo­vens norteados pelo desígnio de servir o próximo e engros­sar as fileiras do voluntariado que, por aqui, exala vitalidade, não sendo, por isso, difícil as­segurar a renovação do corpo ativo.

Aos comandos do corpo de bombeiros desde 1998, Joa­quim Tavares dá conta de um “grupo, cada vez mais unido e coeso”, numa casa onde todos se sentem na obrigação de “dar tudo”.

BP30_16_2.jpgAssim sendo, projetos não faltam. Depois da inauguração, em 2012, do operacional quar­tel de Campia, terá chegado a ocasião para intervir no com­plexo-sede onde para além de pequenos melhoramentos, es­sencialmente para garantir ganhos energéticos, a requalifi­cação de um pavilhão polivalen­te e a instalação de “um mini auditório” para formação, ga­nha caráter de urgência “a substituição da cobertura de amianto”. A empreitada está devidamente orçamentada e será, certamente, um projeto a concretizável a breve trecho.

BP30_16.jpg_6.jpgApesar do corpo de bombei­ros constituir prioridade, a as­sociação não descura o apoio à fanfarra, atualmente com 39 elementos. Este grupo com per­gaminhos, que, em tempos idos, percorreu todo o País tem, agora, uma agenda mais restri­ta, mas mantém, como no pas­sado, o estatuto de “alfobre” de novos bombeiros, que importa, obviamente, manter.

Em várias frentes, trabalho é o lema dos Voluntários de Vou­zela, que não obstante a situa­ção difícil que enfrentam estas associações de norte a sul do País, consegue manter e até elevar os padrões de qualidade, com que desde 1885 serve as gentes deste concelho.

PUB