PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

segunda-feira,

23/10/2017

07:16

Renascer das cinzas

04/09/2017 10:45:05

ponto_2.jpg

A mitológica figura da Fénix, repetidamente a renascer das cinzas, é o símbolo por excelência dos Bombeiros Portugueses, da sua vontade inquebrantável de lutar contra a adversidade, contra todos os obstáculos, para que seja garantida a salvaguarda da vida dos portugueses, dos seus bens e de todo o património nacional, com especial incidência para o seu património natural, a floresta.

As últimas semanas têm permitido testemunhar e reforçar essa determinação da parte dos Bombeiros.

Apesar de apenas 7 por cento da atividade geral dos Bombeiros, ao longo do ano, dizer respeito ao combate aos incêndios florestais, mesmo assim, este corresponde a uma alocação de meios humanos e materiais gigantesca e, acima de tudo, perante toda a sociedade portuguesa, corresponde a uma exemplar demonstração de solidariedade entre as 470 associações humanitárias e corpos de bombeiros de todo o país.

Esse movimento permanente representa um esforço notável de disponibilidade para a mobilidade de mulheres e homens bombeiros, com as suas viaturas, para as mais diversas e sucessivas paragens do nosso país onde a cada momento são necessários para dar luta às chamas. Luta tantas vezes desigual, em que são chamados a proteger primeiro aldeias e lugares e os seus moradores, maioritariamente idosos, para depois continuar o combate direto na frente do fogo em condições arriscadas e adversas. Vezes sem conta com o risco da própria vida, de que são prova as dezenas de bombeiros feridos, alguns ainda a lutar nas camas dos hospitais ou outro, caso do Gonçalo Conceição, que nos deixou mas cuja memória iremos perpetuar.

A própria Natureza associa-se à vontade denodada dos Bombeiros. As imagens que reproduzimos foram recolhidas há dias em Pedrógão Grande, dois meses após os incêndios que assolaram aquela zona. A Natureza reage também pela positiva contra a adversidade que a atingiu.

Trata-se da determinação da Natureza, que os Bombeiros bem compreendem, defendem e respeitam, contra o imobilismo dos homens, que não a protegem devidamente nem a respeitam. A Natureza a testemunhar, mesmo assim, a sua vontade de renascer e de voltar a mostrar-se na pujança do passado.

Bombeiros e Natureza constituem um bom exemplo para a sociedade. Um bom exemplo, da vontade de não virar costas aos problemas e, pelo contrário, enfrentá-los e lutar pela sua resolução com os meios de que cada um dispõe. Os meios podem ser insuficientes, como os Bombeiros tantas vezes têm demonstrado, mas tal facto não os tem desmotivado nem desmobilizado para procurarem dar a devida resposta ao problema.

ponto_1.jpgOs Bombeiros sabem que a floresta está abandonada, sabem que muitos locais, nomeadamente, localidades e lugares, não foram antecipadamente protegidos através da limpeza preventiva das áreas envolventes, sabem que muitos terrenos rurais e florestais mais parecem local de despejos de inertes, sabem que tantas vezes perseguem os focos que outros cuidam de atear, sabem que muitos outros apoios que pedem para complementar o seu trabalho no terreno tardam ou nem aparecem.

Os Bombeiros sabem tudo isso e, mesmo assim, não deixam de responder afirmativamente, não com retórica ou meras declarações de intenções, mas com acção, com determinação e com vontade.

Os Bombeiros são credores do respeito e da admiração dos seus concidadãos. Que, aliás, lhes têm testemunham verbalmente. Mas, os Bombeiros, como tantas vezes também têm apontado, apesar de agradecidos e sensibilizados por essas demonstrações de simpatia, não deixam de formular que, a par disso, também desejavam ver-se equipados com mais meios e, ainda, que o próprio país, as estruturas governativas e os portugueses em geral cuidassem mais de cumprir as leis e o respeito que o ambiente e a floresta, em particular, lhes deve merecer.

Para os Bombeiros não subsistem quaisquer dúvidas sobre a sua missão, nas diferentes vertentes da proteção e do socorro. Sabem bem qual é o seu papel na sociedade, nas suas comunidades locais e no esforço acrescido que lhes tem sido pedido, e a que corresponderam mais uma vez, para solidariamente se deslocarem para outras regiões do país para o combate aos incêndios florestais.

Os Bombeiros reiteram a sua determinação e motivação para essa luta mas também apelam aos portugueses mais uma vez para que, de uma vez por todas, se transforme a floresta, não num problema mas sim num enorme benefício ambiental, económico e social, que constitua uma vertente de bem-estar e qualidade de vida para os portugueses que vivam nela ou para que os que a visitam para fruir da sua riqueza universal.

Os Bombeiros e a Natureza renascem das cinzas e que bom seria que os portugueses colhessem deles o bom exemplo, o esforço, a determinação e a vontade de construirmos uma sociedade melhor, mais justa e mais disponível para todos.

PUB