PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

sábado,

07/12/2019

19:40

O reconhecimento nunca será de mais

04/11/2019 14:20:25

Os bombeiros demonstraram mais uma vez o seu empenhamento no dispositivo especial de combate a incêndios florestais e rurais.

Nada que nos admire, aliás, face ao balanço de muitos anos de devoção também a essa causa e, no fundo, o testemunho claro e inequívoco de que serão os bombeiros os mais empenhados na defesa da floresta e de todos os que nela vivem, em síntese, na defesa por excelência e com verdadeiro sentido de responsabilidade pelo meio ambiente, pela economia e pelas pessoas.

Assistimos ao desfile de muitos que reivindicam, exigem, alardeiam a defesa do meio ambiente, mas tal apego e determinação fica por provar para além das palavras demagógicas, dos entrópios , dos chavões mediáticos e de muitas outras coisas desconexas e sem sentido, ao contrário dos bombeiros, que o demonstram cada ano, a cada passo, por vezes nas circunstâncias mais difíceis e até dramáticas, carregando nos seus ombros o compromisso de resolver bem o que os outros todos os dias fazem pouco e mal.

Quando, no passado, muitos esqueceram a floresta, o seu valor económico, paisagístico, social e ambiental, empurrando com a barriga mais essa questão, os bombeiros foram sucessivamente alertando para o problema que se apresentava em crescendo e com risco cada maior. O abandono sucessivo da mesma, a falta de ordenamento foram alguns dos alertas lançados pelos bombeiros que, contudo, caíram então em saco roto. Esta é a triste realidade que os factos reais

Vieram comprovar, para nós fica o sentimento do dever cumprido, para os outros esse enorme peso na consciência de que nunca se libertarão.

Como sabemos, de facto, fizeram orelhas moucas aos alertas e avisos dos bombeiros e eis que, chegada a tragédia que ceifou vidas, património e bem-estar, eis que agora todos se interessam e tentam, por um lado, pretensamente sublimar e generalizar a questão para que não lhes sejam assacadas responsabilidades diretas e, por outro lado, ainda mais grave, tentem passar responsabilidades para os outros, nomeadamente para os bombeiros, acusando-os de terem passado a não desempenhar bem a sua missão. Isto, mesmo contabilizando a morte de muitos bombeiros nessa missão e em situações extremas e heroicas. E demonstrando-se também o desnevo0lvimento exponencial do risco e das dificuldades crescente no combate aos incêndios florestais e rurais.

No quente da discussão e das altercações na busca de bodes expiatórios dos outros, os bombeiros foram visados e não esquecem isso. Mesmo que, depois, muitos se tenham tentado emendar e apresentar desculpas de mau pagador.

Então, a par de chorarem os seus mortos, os bombeiros choraram também face à enorme injustiça, torpe e cobarde, de que acabavam de ser vítimas, inclusive, através de campanhas de desinformação.

PONTO-DE-SITUAÇÃO.jpg

A Liga dos Bombeiros Portugueses saudou recentemente mais uma vez os nossos bombeiros pela forma denodada e exemplar como se têm empenhado ao serviço do país e dos portugueses na defesa destes, dos seus bens e da floresta. Fazemo-lo com a convicção de que cabe prestar-lhes esse tributo, para sempre e sem limites.

Aliás, independentemente do papel que cabe à sociedade, caberia obrigatória e especialmente à Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil fazê-lo, exponenciando apoios com a expressão e a ênfase correspondente à importância, à dimensão e aos resultados que os bombeiros representam ao nível da Proteção Civil em Portugal. São o seu Principal Agente.

PUB