PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

segunda-feira,

23/10/2017

07:19

Comunicar é preciso

02/11/2016 12:22:39

jlll.jpgDécadas a fio as associações humanitárias de bombeiros voluntários assumiram, por direito próprio, o papel de centros sociais, de polos recreativos e desportivos e de núcleos culturais. Mudaram-se os tempos e as vontades, o associativismo perdeu fulgor e hoje, embora mantendo o estatuto de referência, estas instituições tiveram que se adaptar as novas exigências e realidades desde logo dando a conhecer as atividades que desenvolvem, tanto a nível associativo como operacional, sendo que, no presente, os corpos de bombeiros estão cada vez mais sensibilizados para as questões da comunicação.

Depois dos “ensaios” em páginas institucionais – pouco versáteis – os bombeiros encontraram nas redes sociais imediatismo e interação, ferramentas importantes, mas que, sublinhe-se, importa saber usar com parcimónia, até porque a exposição sirva, apenas, a dignificação e não sirva para alimentar tricas e intrigas que, invariavelmente, degeneram em “tiros nos pés”. Piadas, criticas e alardes, mais ou menos velados em nada contribuem para a dignificação do setor, e, assim sendo, quem não consegue colaborar na solução dos problemas, não raras vezes acaba por ceder à cobarde tentação de os agravar, no fogo-fátuo do protagonismo efémero, que estimula os crónicos indignados das redes sociais.

Mais do que identificar as más práticas importa salientar o esforço de muitas instituições para valorizar a “marca” bombeiros.

Felizmente, são cada vez mais os quartéis que abrem as suas portas, mostrando as suas atividades, promovendo campanhas de sensibilização, fomentando a designada cultura de segurança e dando espaço e merecido protagonismo aos homens e mulheres que honram estes contingentes da paz.

O dinamismo e inteligência com que a Polícia de Segurança Pública está a gerir a página de Facebook da instituição parece estar a contagiar, também, os corpos de bombeiros que com bom senso vão introduzindo novas linguagens, atualidade e até algum humor mas mensagens que “postam”, fugindo a um institucional “cinzento” que prejudica a comunicação.

Em mensagens com roupagens arejadas os bombeiros assinalam os dias festivos, partilham as notícias que à comunidade interessam, divulgam conselhos em matéria de saúde e proteção civil, dão conta das missões cumpridas pelo corpo de bombeiros, apostando na qualidade das imagens e dos vídeos colocados na rede.

Assim sendo, estão de parabéns, uma vez mais os Bombeiros de Portugal, que não dispondo de grandes recursos conseguem encontrar a fórmula certa para chegar às populações que servem, estimulando e servindo de “bitola”, para outros quartéis de País.

 

Sofia Ribeiro

PUB