PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

terça-feira,

12/12/2017

21:50

Bombeiros com missão ampliada

05/12/2016 11:27:34

 

Já, nestas colunas por diversas vezes demos ênfase à abrangente missão das associações humanitárias de bombeiros voluntários, compromissos assumidos quando outras entidades falham, nomeadamente na vertente de apoio social à comunidade. Em vários pontos do País, sobretudo no interior mas, também no desenvolvido litoral, os bombeiros estão na primeira linha no apoio aos mais vulneráveis, nomeadamente, seniores e crianças.

jlbp.jpg

O jornal Bombeiros de Portugal tem feito eco do trabalho de muitas destas instituições na dinamização de centros de dia, na deteção de situações de carência extrema, isolamento ou solidão, na promoção da saúde, nomeadamente com a realização de rastreios, mas também no transporte de idosos dos lugares mais recônditos para o centro de saúde, a farmácia ou até a igreja, no apoio à deslocação dos deficientes ou na distribuição das crianças pelas escolas.

Nesta vertente os bombeiros voluntários têm vindo a adaptar-se aos novos desafios, dando respostas diferenciadas, gizando projetos de raiz que acabam por, invariavelmente, serem replicados pelas congéneres.

Paralelamente, as associações humanitárias promovem um conjunto vasto de atividades na área do desporto, da cultura e do lazer, muitas vezes suprindo lacunas, ampliando e diversificando as obrigações para com a comunidade.

Exemplo desta proatividade, vem de Brasfemes, no concelho de Coimbra, onde o corpo de bombeiros assina o projeto “Gestos que Salvam” assegurando uma das atividades extracurriculares – as designadas AEC – aos alunos do primeiro ciclo do ensino básico. Semanalmente, durante 50 minutos, mais de quatro dezenas de crianças apreendem noções básicas de socorrismo e começam a treinar procedimentos. Desta forma, os bombeiros dão um importante contributo para a formação cívica dos mais novos que desta forma conquistam “novas ferramentas para a vida”, que, certamente, farão toda a diferença na sua formação. Estes meninos e meninas, mesmo que não sejam os bombeiros do amanhã, serão, seguramente, homens e mulheres tocados pelos valores da solidariedade, conscientes da importância do voluntariado.

Os quartéis são, desde sempre, escolas de vida, contudo esse conceito começa a ser alargado e a extravasar para o exterior, não sendo raro a intervenção dos bombeiros nos planos curriculares cursos técnicoprofissionais, nomeadamente na área da proteção civil ou até, por solicitação dos tribunais, na correção de comportamentos desviantes, sobretudo dos mais jovens.

Exemplos de boas práticas e grande atividade não faltam até porque extintos os incêndios de verão que projetam os bombeiros heróis para as luzes da ribalta, os quartéis, as sedes das associações humanitárias não fecham. Todos os dias, 24 por dia, 365 dias por ano, os bombeiros voluntários cumprem com prontidão e profissionalismo muitas outras missões, não descurando a primordial: o socorro.

 

Sofia Ribeiro

PUB