PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

segunda-feira,

01/06/2020

14:29

CORONAVÍRUS

LBP quer os bombeiros preparados

04/02/2020 12:29:16

É a preocupação do momento. O coronavírus continua a fazer vítimas, sobretudo na China, onde matou mais de quatro centenas de pessoas. Entretanto, galgou a grande muralha e amedronta o mundo. Em termos globais já são dezenas de milhar os infetados em mais de 20 países e regiões do mundo.

Portugal continua fora destes números que, embora assustadores, não traduzem, segunda a organização Mundial de Saúde, uma pandemia, ainda assim, o nosso País acompanha com natural preocupação o grupo de 18 portugueses repatriados da região de Wuhan, que continuam em quarentena no Hospital Pulido Valente e no Parque da Saúde, em Lisboa.

CORONAVIRUS_FOTO-MARIO-CRUZ-EPA.jpg

                                                                 Foto Mário Cruz/EPA

A constante ameaça do novo coronavírus levou Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) a defender que as recomendações genéricas da Direção Geral de Saúde (DGS), são insuficientes para preparar, devidamente, os bombeiros exigindo, por isso, uma reunião técnica com todas as entidades que permita operacionalizar, agilizar e harmonizar procedimentos.

Depois da denuncia, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), acabou por fazer chegar aos quartéis, por intermédio dos comandantes distritais, um documento com medidas orientadoras, para atuação em casos suspeitos de infeção, que passam pelo uso de “bata, com abertura atrás, de uso único e impermeável, uma máscara, proteção ocular - usar óculos de proteção em todos os casos de suspeição, e luvas - de uso único, não esterilizadas”.

Ainda assim, o presidente da confederação não desarma, e em declarações à comunicação social, frisa a falta de equipamentos que nem DGS nem a ANEPC forneceram, restando aos bombeiros gerir as “sobras” do surto de gripe A, mesmo que possam “não ser as mais adequadas” e possam até apresentar “prazo de validade ultrapassado”.

Jaime Marta Soares faz questão de deixar claro que os bombeiros não deixarão de responder, nesta como em todas as outras situações, com prontidão, elevado profissionalismo e sentido de entrega ao próximo.

Registe-se que à primeira ameaça do novo coronavírus em Portugal, um cidadão italiano esteve cinco horas dentro de uma ambulância dos bombeiros de Felgueiras até à chegada da equipa especializada do INEM, que o transportou para Hospital São João, no Porto. A situação, algo caricata, motivou a já costumeira troca de acusações e também a muito normal falta de identificação dos responsáveis. Felizmente, tudo não passou de falso alarme, mas este insólito caso não deixou de por em causa as garantias dadas pelo Governo que propala preparação para responder a este que é um desafio à escala mundial.

                                                                                   SR


PUB