PUB

Capa do jornal "Bombeiros de Portugal"

Director: Rui Rama da Silva

segunda-feira,

23/10/2017

07:21

Somos uns mãos largas

28/04/2017 15:42:44


Li outro dia que os mais de mil militares que vão andar na prevenção e nos rescaldos afinal vão andar equipados à conta dos bombeiros, ou seja, é a Autoridade Nacional da Protecção Civil a pagar os equipamentos de proteção que vão utilizar e que vão custar mais de um milhão de euros. Levam calças e dólmen, botas florestais, camisola interior, cogula, luvas, capacete, óculos, lanterna, extintor dorsal, ancinho, ancinho de corte, pá, enxadão, abafador e foicão.

Pensava que o problema dos incêndios florestais era um problema de todos, como para aí dizem, mas afinal é só dos que pagam, a Autoridade, e dos que labutam há muito, os bombeiros.

Será que a Força Aérea que também vai andar no combate também vai receber do mesmo saco para isso? Lembrem-se que no passado, há anos, quando se pensou que iria ser também a Força Aérea a vir para o combate também pediram muito para isso.

Se o saco é o mesmo dá para perceber que quando os bombeiros precisarem não sei se chegará para alguma coisa.

Já agora outra história que me contaram. Eu não estive lá mas contaram-me como certo. Foi na Lousã, outro dia, na apresentação do DECIF. A formatura foi comandada pelo segundo CODIS de Coimbra e tinha militares, FEB e bombeiros. Quando se tratou de acatar a ordem de quem comandava, de firme sentido, houve militares que não cumpriram. Parece-me que não é a primeira vez que isto acontece. Se não é verdade que o digam.

Eu sei que lá no meio dos carrascos somos todos iguais mas as coisas mudam de figura quando se trata de pelos vistos mostrar essa cooperação.

A gente sabe que há muito por trás disso tudo mas estará na altura de resolver tudo isso.

 

PUB